Espetáculos

domingo, 1 de julho de 2018

Maracangalha apresenta em curta temporada no Circo do Mato "Tragicomédia de Dom Cristóvão e Sinhá Rosinha


Chegou a vez do Teatro Imaginário Maracangalha apresentar o espetáculo "Tragicomédia de Don Cristóvão e Sinhá Rosinha" na sede do Circo do Mato, as apresentações são abertas ao público e fazem parte de uma das quatro ações do projeto do Circo do Mato intitulado "Um Ciclo de Vida - Percursos e Percalços", etapa Curtas Temporadas. Desde março, já se apresentaram o próprio Circo do Mato, o Grupo Ubu, Núcleo Jair Damasceno e Teatral Grupo de Risco, em agosto, encerrando as curta-temporadas, será a vez do Grupo Casa.  

O projeto foi contemplado pelo FOMTEATRO 2017 - Política de Fomento para o Teatro no Município de Campo Grande - SECTUR e PMCG e está realizando 4 ações principais e várias paralelas, como montagem de espetáculo, intercambio artístico, formação com 4 oficinas diferentes voltadas ao teatro e curtas-temporadas.

O Teatro Imaginário Maracangalha, grupo de pesquisa em teatro de rua e espaços não convencionais de encenação, ao longo de sua trajetória construiu uma dramaturgia própria a partir do documentário, memória, cultura popular e literatura.

Nessa nova construção o grupo parte para outro processo de pesquisa que é a encenação de um texto /dramaturgia pronta onde a “farsa”, gênero popular de teatro, é levado a cena com humor, drama e crítica social. 

No processo de pesquisa o grupo investigou a cultura popular na fronteira com o Paraguai e a Bolívia e paralelos nas relações de gênero, patriarcado, ruralismo e capital, presentes na obra e na formação cultural do Mato Grosso do Sul a partir de suas fronteiras.  

O grupo somou suas habilidades à pesquisa da cenografia, adereços, figurino e musicalidade com profissionais e pesquisadores das áreas relacionadas a seus processos de encenação. O artista plástico GHVA assina a cenografia, figurino, adereços e maquiagem, o músico e maestro Jonas Feliz é o diretor musical do espetáculo sob a direção de Fernando Cruz.

Assim, o grupo é reconhecido pela seriedade e profissionalismo em suas construções, já que às mesmas não ficam engavetadas ou restritas a apresentações de execuções de projetos, e sim, em circulação dentro e fora do Brasil, tratando o recurso público como forma de expansão da arte pública chegando a toda população na rua, de forma democrática. A execução desse projeto torna pública esta importante obra, assim como ,coloca o nome do autor e a sua relação com a contemporaneidade e nossa cultura em seu devido lugar e tempo.


Sinopse

Sinhá Rosinha quer casar, mas, como enfrentará o autoritário pai, o prepotente dom Cristóvão, o ex-namorado e seu apaixonado pretendente? Como escapará de um casamento forjado pelo dinheiro e viverá o seu amor desimpedido? Como diz sinhá Rosinha: “que se dane seu dinheirinho eu quero é o amor!”. Uma farsa que exalta os valores como a independência, a arte e o amor.


Ficha técnica

Adaptação do texto de Federico Garcia Lorca e Direção: Fernando Cruz
Direção musical: Jonas Feliz
Atuadores: Ariela Barreto, Fernando Cruz, Fran Corona, Moreno Mourão e Renderson Valentim
Figurino, cenografia, adereços e maquiagem: Ghva
Arte: Thiago Silva/Najom
Registro audiovisual: Cátia santos
Fotografia: Diogo Gonçalves/Ateliê Passarinho
Realização : Teatro Imaginário Maracangalha
Comparsas: Rede Brasileira de Teatro de Rua (RBTR), Najom, Ateliê Passarinho, Associação Miguel Couto, Degrau Estúdio, BRASA Comunicação, Teatral Grupo de Risco, Circo do Mato e Flor & Espinho Teatro

Serviços 

Dias: 6, 7 e 8 de julho de 2018
Local: Circo do Mato - Rua Tonico de Carvalho 263 - Bairro Amambaí - CG
Horário: 19h
Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia)
LOTAÇÃO LIMITADA



segunda-feira, 4 de junho de 2018

"Guardiões" em curta temporada no Circo do Mato




Dando continuidade a etapa curtas-temporadas do projeto Um Ciclo de Vida - Percursos e Percalços, o Circo do Mato oferece agora o espetáculo "Guardiões" do Teatral Grupo de Risco de Campo Grande. A proposta desta etapa - curtas temporadas - é oferecer ao público, diferentes espetáculos produzidos por grupos da capital, onde pode-se observar os diferentes olhares e linguagens de cada companhia, onde cada uma, do "seu jeito", apresenta ao público seu fazer teatral.
Ao término do projeto o grupo manterá apresentações periódicas em sua sede, com espetáculos próprios ou não; e para o melhor conforto do público, o Circo do Mato equipou-se com arquibancada e cadeiras, além de um charmoso Barzim.
O projeto foi aprovado pelo edital FOMTEATRO 2017 - SECTUR e Prefeitura Municipal de Campo Grande e está sendo realizado pelo Circo do Mato desde o início do ano, com outras ações paralelas.
Já se apresentaram em curta temporada: Circo do Mato com o espetáculo "Os Corcundas", Ubu Grupo de Artes Cênicas com "Uma Moça da Cidade" e Núcleo Jair Damasceno com "Salomé F.P."; em junho o Teatral Grupo de Risco apresenta "Guardiões, Julho ficará por conta do Imaginário Maracangalha com "Tragicomédia de Don Cristóvão e Sinhá Rosinha" e agosto o Grupo Casa apresenta "Romeu e Julieta".

Da concepção do espetáculo 

Guardiões, compõe uma trilogia pensada pelo grupo. Iniciou-se em 2008. Antes da pesquisa sobre o pantanal, o TGR, produziu outros dois espetáculos: Mbureo – A saga dos Ervais que traz a questão sobre o exploração da erva mate, e consequentemente parte da história do estado; E, Guaicuru – Histórias de Admirar, que retrata parte da guerra do Paraguai, a divisão de terras, a exploração do trabalho, um pouco da história dos índios cavaleiros, Kadweus. Para compor um ciclo da pesquisa envolvendo as questões históricas, culturais e sociais de Mato Grosso do Sul, entrarmos no universo pantaneiro.

Foto: Helton Perez

Trajetória

Recebeu o Prêmio Miryan Muniz de Teatro em 2008 para desenvolvimento de sua pesquisa, e foi montado por meio do Fundo de Investimentos Culturais de Mato Grosso do Sul (2013/2014). Percorreu as cidades de Campo Grande, Terenos, Rochedo, Ivinhema por meio do
Circuito Sul-Mato-Grossense de Teatro/2015; Apresentou-se na Mostra Boca de Cena/2017, e no espaço do Teatral Grupo de Risco.

Sinopse

A encenação apresenta um pantanal sui generis, provocando questionamentos na plateia. Os habitantes possuem uma relação simbiótica com o território que habitam e que, gradativamente, vão sendo expulsos da região. Os personagens sentem-se em desequilíbrio, assim como todo o ambiente, e enfrentam dificuldades com o novo sistema que se estabelece.
É uma encenação limpa, seca, que apresenta o modelo de “desenvolvimento” oferecido à nossa sociedade pelo sistema econômico vigente no mundo. O universo abordado é retratado de forma sintética: o cenário virtual, infinito e neutro, as cores só aparecem ao longe.
Os atores são personagens que quase se confundem com o cenário, são quase invisíveis, a dureza do território está entranhada em seu modo de ser, de lutar, possuem uma simbiose bem peculiar e, ora animais, ora homens, vivem nesse cenário chamado pantanal, muito embora o tema tratado seja sério, há momentos lúdicos, delicados e também com toques de ironia e sátira.


Ficha Técnica

Direção: Roma Román
Dramaturgia: Lú Bigattão
Produção: Fernanda Kunzler
Elenco: André Tristão, Fernanda Kunzler e Yago Garcia
Preparação de elenco: Leandro Melo
Cenografia: Márcia Gomes
Vídeo cenário: Maíra Espindola e Rafael Mareco
Ilustrações: Rubén Dario Román Añez
Iluminação: Anderson Lima
Fotos: Helton Perez
Duração: 45 minutos

SERVIÇO

Espetáculo "Guardiões" - TGR
Local: Circo do Mato - Rua. Tonico de Carvalho 263 - Bairro Amambaí - CG/MS
Datas: 8, 9 e 10 de junho de 2018
Horário: 19h
Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia)
Indicação: maiores de 14 anos
Lotação limitada


segunda-feira, 21 de maio de 2018

Inscrições abertas para ciclo de oficinas de teatro



ATENÇÃO! INFORMES - 23 de maio de 2018

1. AS INSCRIÇÕES DAS OFICINAS DE DRAMATURGIA E MAQUIAGEM ESTÃO ENCERRADAS!  

2. AS AULAS INICIAIS DESTA SEMANA (DIAS 25 E 26 DE MAIO) FORAM TRANSFERIDAS PARA SEMANA QUE VEM E SERÃO COMPENSADAS NO DECORRER OU AO FINAL DAS OFICINAS.




O projeto Um Ciclo de Vida - Percursos e Percalços abrange 4 ações principais ao longo de sua execução, são elas: Intercâmbio, Curtas-temporadas, Montagem de espetáculo e oficina de formação.
Iniciaremos agora o Ciclo de Oficinas - será a oficina de praticas cênicas do trabalho do ator, sub-dividida em módulos: maquiagem artística, figurino, dramaturgia e o corpo do ator. Os módulos serão ministrados pelos profissionais das artes cênicas, Anderson Bosh e Anderson Lima, as inscrições serão realizadas independentemente, ou seja, as pessoas interessadas poderão se inscrever em quantos módulos quiser, mas deverá informar quais no ato da inscrição.

O projeto vem sendo realizado desde fevereiro e será concluído em agosto, é resultado de seleção pública pelo edital FOMTEATRO 2017 / SECTUR / PMCG, propõe várias ações e oferece ao público 7 diferentes espetáculos, incluindo a nova montagem do próprio grupo, ao longo deste período além de formação na área teatral, através destas oficinas.


 Anderson Bosh


Diretor, Ator, Figurinista, Maquilador e Dramaturgo, no teatro são destaques os espetáculos “Uma Moça da Cidade” e “Pelega e Porca Prenha”, com os quais recebeu diversas premiações em festivais e realizou inúmeras temporadas e circulações nacionais através dos Prêmios Funarte EnCena Brasil, Prêmio Funarte Miryam Munis e Prêmio Funarte Petrobras de Circulação de Espetáculos. Entre direções de sucesso, encenações, textos e atuação, obteve sumo destaque na criação e confecção de figurinos para diversos espetáculos do país, bem como planos de maquiagem e alguns cenários, sendo premiado em festivais e mostras da categoria.
 Anderson Lima  

Ator, Palhaço, Iluminador Cênico e Produtor Cultural DRT 082/MS. Bacharel em Artes Visuais com Pós-Graduação em Imagem e Som pela Universidade Federal de MS. Um dos idealizadores do FESTCAMP - Festival de Teatro de Campo Grande e da Pantalhaços - Mostra de Palhaços do Pantanal. Realiza curadoria para festivais e prêmios de Teatro e Circo, bem como ministra oficinas, palestras e se apresenta em festivais em âmbito nacional. Foi professor das disciplinas História da Arte e Criatividade na Facsul em Campo Grande MS.

Objetivos:

- Realizar oficinas de práticas cênicas que orientem o trabalho do ator.
- Possibilitar a imersão dos alunos no contexto das práticas cênicas que compõe o trabalho do ator: corpo, voz, espaço, dramaturgia, maquiagem, figurino,
- Incentivar a formação de profissionais com compreendam e façam uso das práticas cênicas que compõe o trabalho do ator.

Materiais a serem utilizados - a serem providenciados pelos alunos

Cadernos para anotações 
Canetas, lápis de cores 
Papel sulfite A4 em branco 
Maquiagem diversa 



SERVIÇOS

Local de realização: sede do Circo do Mato

                                   R. Tonico de Carvalho 263 - B. Amambaí CG/MS.
Inscrições gratuitas através do email: oficinacircodomato@gmail.com
Orientações de envio do email
Assunto: nome(s) do(s) módulo(s) desejado(s) -- Maquiagem, Figurino, Dramaturgia E/OU O Corpo do Ator
No corpo de email informar: nome completo, CPF, idade, telefone de contato, experiencias prévias se houver.
Será enviado email resposta confirmando a inscrição.


VAGAS LIMITADAS!












segunda-feira, 14 de maio de 2018

Salomé F.P. será apresentada no Circo do Mato neste final de semana

               E o Circo do Mato dá prosseguimento ao projeto “Um Ciclo de Vida – Percursos e Percalços”, incentivado pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo e Prefeitura de Campo Grande, através do edital FOMTEATRO 2017. O projeto está promovendo 4 ações conjuntas e concomitantes de manutenção e sustentabilidade do grupo, entre elas, as Curtas Temporadas (abertas ao público a preços populares), uma ação de resistência artística, com a criação de um calendário de seis meses de espetáculos diversificados, ocupando por 3 dias/mês, a sede do Circo do Mato.
             Alguns grupos de teatro da capital estão na programação de apresentação no Teatro de Bolso Circo do Mato, recém equipado com cadeiras em arquibancada, para o maior conforto do público.
            Mauro Guimarães, do Circo do Mato explica: pensamos em distribuir ao longo do projeto, que é de 6 meses, nossos espetáculos e também de grupos parceiros, uma de nossas intenções é oportunizar espaço para apresentações, tanto para o público quanto para os próprios artistas, são grupos e perfis diferentes a cada mês, com linguagens distintas e temas diversos. Nossa intenção é manter essa agenda ativa de diferentes espetáculos mesmo ao término do projeto.


         O próprio Circo do Mato iniciou a etapa de curta temporada no mês de março com "Os Corcundas", em abril foi o Ubu Grupo de Artes Cênicas com "Uma Moça da Cidade", e neste final de semana será a vez do Núcleo Jair Damasceno com o espetáculo SALOMÉ F.P.

imagem criada por Marilena Grolli para SALOMÉ F.P. 

         A criação e direção do espetáculo são de Jair Damasceno, com texto de Fernando Pessoa; no elenco os atores Leonardo Reinaltt, Guilherme Moraes, João Pedro Xavier e Yan Gabriel e ainda no papel de Herodes, o próprio diretor do espetáculo, Jair Damasceno; a música é tocada ao vivo por Ewerton Goulart, operação de luz e cenário, Yuri Guedes e Matheus Lomando.


Foto: Leandro Benites

        Jair apresenta a peça SALOMÉ F.P., um texto teatral de Fernando Pessoa, chamado de poeta dos sonhos, sobre a história da princesa que segundo o cristianismo pediu a Herodes a cabeça de São João Batista. Livre dos preceitos religiosos, o autor atribui à SALOMÉ, a tarefa de criar, através dos sonhos, os enredos da sua própria vida e, entre eles, a história de João Batista, colocando em dúvida se era de fato um santo ou um bandido que vivia nas aldeias. Para criar toda atmosfera acerca do que é real ou sonho sobre o mito feminino tão explorado por criações artísticas, Jair Damasceno se aprofundou na pesquisa sobre iluminação e interpretação, incluindo a vocal. “Queremos que o público sinta esse ar fluído por onde vive o imaginário de Salomé, mulher forte e extremamente sonhadora”, diz Jair.
Foto: Leandro Benites 

Serviços

Local: Circo do Mato – Rua Tonico de Carvalho 263 – Bairro Amambaí

Dias: 17, 18 e 19 de maio de 2018
Horário: 20h
Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia) à venda no local à partir das 19h.
Classificação e indicação: público adulto
LOTAÇÃO MÁXIMA: 40 pessoas


Contatos: Mauro 67 99909-9208 e Laila 67 99912-1420

segunda-feira, 23 de abril de 2018

Sady Bianchin lança o livro "Tráficos Utópicos" em Campo Grande
























 
sul-mato-grossense Sady Bianchin,  natural de Amambai/MS, vem do Rio de Janeiro, cidade onde reside desde 1977, a Campo Grande para lançar seu livro Tráficos Utópicos - Editora Mais Que Palavras -  o evento acontecerá no Circo do Mato no próximo dia 05 de maio, às 20h, iniciando com uma performance artística do autor que também é diretor teatral.

Tráficos Utópicos, com capa do fotógrafo Pierre Crapez, apresenta uma safra de poemas inéditos nos quais o autor vem trabalhando há alguns anos, em que fala do ser humano em sua dimensão social, onde rememora também seu percurso de vida, as lutas por transformação em nosso país, sem deixar de confessar questões afetivas e com um espaço privilegiado para a metapoesia. Logo no texto de apresentação, Washington Quaquá Siqueira nos lembra o quanto Sady Bianchin sempre foi um personagem “onipresente” na cultura fluminense, seja com seus poemas, performances em saraus ou as peças teatrais que dirigiu. Já o prefaciador Ivan Proença destaca que “O universo imagístico transita, ostensivo por comparações em seus jogos metafóricos ou em símiles em que comparante e comparado “se entendem” plenamente.” Além dos poemas inéditos, o autor nos brinda com uma biografia fotográfica de sua atuação no campo das Artes Cênicas, com dezenas de fotografias que ilustram suas 4 décadas dedicadas como autor, ator e diretor em peças teatrais, performances e no cinema. Tráficos Utópicos foi apresentado no Congresso Brasileiro de Poesia, em Bento Gonçalves, em Havana, Cuba, em Niterói e no Rio de Janeiro.

                             
  
Sady Bianchin é poeta, ator, jornalista, diretor teatral e sociólogo. Doutor em Teatro e Sociedade pela Università di Roma - Sapienza, Itália (sua tese de doutorado Teatro e Sociedade: Aspectos da cena, foi orientada pelo Prêmio Nobel Dario Fo); Mestre em Ciência da Arte – UFF; Pós-Graduado em Comunicação e Cultura – UFRJ; Bacharel em Ciências Sociais – UFF; Bacharel em Comunicação Social – FACHA.

Foi Consultor Cultural do Ministério da Cultura (2004-06); Coordenador de Projetos Especiais da Secretaria Estadual de Direitos Humanos do Governo do Estado do Rio de Janeiro (2007-08); Secretário de Cultura de Maricá, RJ (2009-10); Presidente do Conselho Municipal de Cultura de Niterói, RJ (2010-13).
Publicou 5 livros de poesia, entre eles: Nervo Exposto, Poesia no Sentido Litoral e Circo Armado. No Rio de Janeiro criou os projetos de poesia: Rio de Versos, Barca das Dez, Ponte de Versos e Fórum Poesia. Foi publicado em 7 países e participou de 11 antologias, entre elas:Poesia do Brasil, Poesia Brasileira Ontem e Hoje, Poesia Carioca - Ponte de Versos e Entre o Samba, o Fado e a Poesia.


Foi aluno de Jerzy Grotovski, tendo sido bolsista do Centro Experimental de Teatro de Pontedera, Itália, sob a direção de J. Grotovski; Integrou o Centro de Pesquisa Teatral - CPT, sob a direção de Antunes Filho; É diretor do grupo de teatro Grutacha há 20 anos; Criador do grupo multiarte Mymba Kuera.
Coordenador do Núcleo Artístico e Cultural – NAC e da Pós-graduação dos cursos de Gestão e Produção Cultural e de Teatro e Sociedade – Estudos do Espetáculo, na FACHA; Professor e coordenador do Curso de Fotografia na Estácio de Sá - UNESA.

Em 40 anos de teatro dirigiu e atuou em inúmeras peças, como: O Mambembe, Hamlet Imaginário, Édipo Rei, O Alienista, A Terceira Margem do Rio, Morte e Vida Severina, Rasga Coração, Espumas Flutuantes, Transgressões - o espetáculo, O Último Carro, Desafinando o Coro dos Contentes e Navalha na Carne, dentre outras.
Participou de 13 filmes, com destaque para Como Ser Solteiro no Rio de Janeiro (dir. Rosana Swartman), América Roteiro da Paixão(dir. Luiz Martínez), Os Tambores (dir. Sady Bianchin), Terra Guarany (dir. Marcos Yokavski), Castro Alves: 150 anos (dir. Nelson Pereira dos Santos).


Recebeu os prêmios: Mambembe (melhor ator); Festival de Teatro de Canela, RS (melhor ator – 1991); Festival de Monólogos de Teresina, PI (melhor diretor - 2001); Festival de Teatro do Rio (melhor diretor - 1995); Rio Versos Niterói, RJ (diretor de teatro - 2006); Troféu Maysa – Maricá, RJ (artista multiarte - 2009).




EXCERTOS DE ACERVO CRÍTICO

“Tenho acompanhado os movimentos de poesia. Têm sido gratas surpresas, iluminadoras como estas de Sady Bianchin.” 
Antônio Houaiss

“Sady, chegou perto das lagoas, com sua poesia/política contundente. Assim, pode falar concreto.” Arnaldo Antunes

“O drama da realidade social é matéria-prima para a poesia de Sady Bianchin, que mastiga o cotidiano que vê, tritura o universo entredentes e nos brinda com versos em imagens. Cospe palavras com sua língua de fogo afiada na cara da gente, convidando a não só olhar pela janela, mas fazer parte de uma intervenção para construir a sociedade organizada pela paixão.” 
Jorge Mautner

“A poesia de Sady Bianchin, faz pensar, constrói a memória social e reinventa o cotidiano da vida. Eu queria ter um professor como este.” 
Marcelo D2

“A poesia humanística e solidária de Sady Bianchin é um grito de liberdade.” 
 Paul Singer

“Deixa fluir e mete bronca, reclama, grita, que a poesia é a tua mais forte arma.” 
Paulinho da Viola

“O maluco Sady / tem a cuca em dia; / o moleque respira, / pira pura poesia.” 
Paulo Leminsky

“Poeta do pensamento pesado, andante desses tipo maluco beleza, não é fácil de se encontrar por aí, vida afora.” 
Raul Seixas


SERVIÇOS

Data: 05/05/2018
Local: Circo do Mato - Rua Tonico de Carvalho 263 - B. Amambaí - Campo Grande
Horário: 20h
Evento aberto

Contatos: (67) 99912-1420 e (21) 99681-9689